15 coisas que eu queria ter descoberto no início da vida

16/08/2017

Se existe um canal ou app que adoro é o MEDIUM. Uma plataforma de publicação “tipo” blog mas com uma pegada bem mais de “qualidade”. E que qualidade! Você esbarra com textos maravilhosos, de conteúdo, assim como poemas e desabafos políticos.

O site GIZMODO definiu muito bem O QUE É O MEDIUM! Passa lá pra entender melhor.

Em uma dessas andanças minhas pelo MEDIUM, encontrei um texto de Tiago Mattos chamado 15 coisas que eu queria ter descoberto no início da vida, título do post. Como escreveu Fabio Seixas nos comentários: “Cara, escreve isso em pedra.
Não, pera. Pedra é muito imutável. Deixa no Medium mesmo. Parabéns!!”

Depois lendo mais sobre Tiago Mattos, fiquei mais fã ainda quando soube que também escreveu um livro: Vai Lá e Faz, Como Empreender na Era Digital e Tirar Idéias do Papel.

Deixo o resumo do livro para você tirar suas conclusões:

O mundo está cheio de histórias de empreendedores que começaram do nada. Tiago Mattos, um dos maiores futuristas brasileiros, formado pela Singularity – a universidade erguida no Vale do Silício pelo Google em parceria com a Nasa – vai te mostrar neste livro que, sim, você pode criar uma empresa bem-sucedida do zero se tiver o mindset certo e entender como o mundo está mudando. Porque nunca foi tão fácil fazer. Nunca foi tão fácil fazer um livro, uma música, um filme, uma reunião dos colegas do ensino médio, uma passeata, um partido político, uma casa, um carro, uma declaração de amor, uma viagem ao redor do mundo. Nunca foi tão fácil fazer uma empresa. Nunca foi tão fácil entender que ninguém fará o mundo que você quer por você. Só você.

Mas o post era sobre o que mesmo? Ah!

15 coisas que eu queria ter descoberto no início da vida

1 — Empreender é importante. Até para quem não pretende empreender para sempre. Dá outra perspectiva sobre negócios, gestão e pessoas.

2 — Aprender a aprender é muito mais relevante que acertar com frequência. As pessoas que se focam excessivamente no resultado costumam não se adaptar às inexoráveis mudanças do mundo.

3 — Quem se apega demais às ideias é porque tem poucas.

4 — Antes de ter alguém como ídolo, descubra se essa pessoa é uma pessoa de carne e osso. Admire a pessoa antes do profissional. O mundo precisa mais da consciência do Bill Gates do que da frieza do Steve Jobs.

5 — Desconfie das estruturas que não estão trocando o seu desenho hierárquico para um modelo em rede. A verticalização é um hábito dos líderes inseguros.

6 — Exercite a sua empatia. Empatia não é pena.

7 — Seja legal com todo mundo que cruzar na sua frente, mas lembre-se: você também é todo mundo. Saiba equilibrar generosidade e amor próprio.

8 — Ter uma postura incomum dá trabalho. Você é julgado o tempo todo pelo senso comum. Que, como o próprio nome diz, é comum.

9 — Quando você segue uma tendência, provavelmente já está atrasado.

10 — Há cinco tipos de pessoas: as que fazem, as que ajudam as que fazem, as que vivem em cima do muro, as que reclamam e as que estão secretamente torcendo pelo seu insucesso. Esteja próximo dos dois primeiros. (Inspirado pela Shoot The Shit)

11 — A internet é uma revolução incrível, mas é muito pouco perto das outras revoluções que vêm por aí. Os líderes digitais que pararem de aprender podem ficar tão obsoletos quanto os antigos barões da revolução industrial.

12 — As pessoas que têm medo da tecnologia geralmente estão no carona, não ao volante.

13 — O único sentido de fazer alguma atividade oito horas por dia, todos os dias, é saber que você trabalha para um mundo mais legal e alinhado ao seu propósito. Qualquer outra coisa é egoísmo, alienação e/ou perda de tempo.

14 — No dia em que você morrer, a única coisa que sobrará é o seu legado. Pense sobre isso.

15 — Esteja sempre aberto a rever seu ponto de vista. Mudar de opinião é uma grandeza, não uma fraqueza.

Quer ler mais sobre Tiago Mattos?
http://projetodraft.com/10-coisas-que-aprendi-planejando-menos-e-fazendo-mais/

 

Tags:, , , , ,